Cacb Lança Campanha Pela Atualização Das Tabelas Do Simples Nacional

Cacb Lança Campanha Pela Atualização Das Tabelas Do Simples Nacional

No dia em que tomou posse, a diretoria da CACB para o triênio 2022 – 2024 participou da Reunião do Conselho Deliberativo da Confederação, realizado no Royal Tulip Hotel. No pauta, assuntos jurídicos, o projeto de melhoria da oferta de produtos e serviços, mudança no nome do Conselho da Mulher, nomeação de novos vice-presidentes, entre outros.

O destaque, no entanto, está no lançamento da campanha digital “Mais Simples Nacional, Brasil mais forte”, liderada pelas associações comerciais brasileiras, em favor da atualização das tabelas de enquadramento de Microempreendedor Individual, microempresa e pequena empresa no Simples Nacional.

Responsável por apresentar a campanha ao Conselho, o deputado federal e vice-presidente administrativo da CACB, Marco Bertaiolli, disse que a ideia é apoiar o Projeto de Lei Complementar (PLP) 108/2021, que busca alterar as definições de faturamento para enquadramento como Microempreendedor Individual (MEI). Atualmente, o limite de faturamento para ser MEI é de R$ 81.000,00. Com o projeto aprovado, esse limite passaria a ser R$ 141.000,00.

Bertaiolli é o relator do projeto na Câmara dos Deputados, e em seu texto substitutivo, também propõe que o projeto seja ampliado às micro e pequenas, que ampliariam seu faturamento anual de R$ 360 mil para R$ 847 mil e de R$ 4,8 milhões para R$ 8,47 milhões, respectivamente.

“Os cálculos são baseados na correção do faturamento anual destes negócios de acordo com a inflação oficial do país, medida pelo IPCA. O que vamos fazer agora é provocar o Congresso Nacional a votar favoravelmente ao projeto, usando a força das associações comerciais”, disse o deputado.

Segundo ele, será criado também uma petição nacional, para que todos os empreendedores do país possam aderir à campanha. Para além disso, apesar de protagonizada pela CACB, qualquer entidade que defenda o empreendedorismo brasileiro poderá fazer parte do movimento.

“Todo ano que a Receita não corrige esse faturamento pela inflação do período há, automaticamente, aumento de imposto”, destacou Alfredo Cotait Neto, presidente da CACB.

“O que vai nos unir são as bandeiras que defendemos no nosso sistema e esta será a primeira campanha que faremos juntos. Nenhuma entidade é tão identificada com o empreendedorismo e os pequenos negócios como as associações comerciais, então precisamos resgatar esse valor e colocar nossas duas mil ACEs falando a mesma língua”, disse Bertaiolli.

Serviços

No comando da reunião, o presidente da CACB deu destaque à Boa Vista Serviços, reafirmando sua intenção de que ela esteja presente em todas as federações do sistema. A fala fortalece a intenção da Confederação de ampliar a oferta de produtos e serviços na rede das associações comerciais.

“Precisamos formar uma escola de executivos para fazermos um trabalho na propagação da oferta desses serviços,. É disso que nossa rede precisa, além, claro, do apoio de todos nós”, afirmou Cotait.

Sua fala foi reforçada pelo 1º vice-presidente da CACB, Ernesto João Reck, que chamou atenção para a necessidade de se remunerar as associações comerciais, usando da nossa rede, mas com o comprometimento de todos. “Vamos estudar produtos que deem rentabilidade às entidades, mas que, acima de tudo, deem ao empresário associado lá na ponta a percepção de que estamos levando à realidade dele uma ferramenta que, de fato, melhora a gestão do seu negócio”, disse.

Reck condicionou o desenvolvimento da CACB ao fortalecimento das ACES e à valorização dos empresários.

Já o diretor de Serviços da CACB, Maurici Dias Gomes, disse que o foco da ação será na autossustentabilidade de todo o sistema, identificando as melhores práticas e desenvolvendo novos mercados e negócios, com ênfase do digital e observando as características regionais das entidades.

Faculdade do Comércio

 

A CACB firmou um convênio com a Faculdade do Comércio (FAC) que vai permitir que todas as associações comerciais do país atuem como polo de cursos de graduação e pós-graduação a distância, em cursos voltados à gestão, logística, negócios, entre outros. “

Nossa ideia é usarmos a marca das nossas entidades para divulgar a primeira faculdade das associações comerciais do Brasil”, disse Wilson Victorio Rodrigues, diretor geral da FAC.

Segundo ele, já existe um alinhamento com as federações da Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Rondônia e Santa Catarina.

Na última sexta-feira (25), foi realizada a formatura dos 40 alunos da primeira turma dos cursos de graduação em Gestão Comercial, em Logística e em Recursos Humanos colaram grau na Associação Comercial de São Paulo. “Foi uma noite muito gratificante. Ouvi de um aluno que somos a faculdade do futuro, porque estamos focados em requalificar os comerciários no comércio digital. Por isso, quero ver esse projeto implantado no Brasil inteiro”, disse Alfredo Cotait.

Para saber mais sobre a FAC, acesse www.facsp.com.br.

CMEC Nacional

A reunião também marcou a aprovação da mudança do nome do Conselho Nacional da Mulher Empresária (CNME), que agora passa a se chamar Conselho Nacional da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC Nacional). “Queremos dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito em São Paulo. Ainda estamos estudando a marca e a intenção é de entrarmos com ela em todo o Brasil”, disse Ana Claudia Badra Cotait, presidente do Conselho.

Ela citou a importância de que haja integração e ampliação dos conselhos estaduais e disse que vai montar um calendário de visita a todas as federações do país no sentido de conhecer quem é quem, quem pode ajudar e como colocar esse plano em prática.

Outro destaque foi sua nomeação para o Comitê de Empreendedorismo Feminino, criado pelo Ministério da Economia este mês com o objetivo de coordenar a participação de órgãos ligados aos três Poderes na elaboração, implementação e monitoramento de políticas públicas, de programas e de iniciativas de fortalecimento do empreendedorismo feminino.

“Nosso foco é ajudar as mulheres do Brasil inteiro a empreender, se formalizar, se qualificar, constituir capital e ter acesso a crédito. Espero contar com a ajuda de todos os presidentes de federações e associações comerciais para que ao fim dessa gestão, nós deixemos um grande legado e muitos conselhos atuando”, declarou.

Ainda na reunião, Tânia Rezende (MG), Álvaro Moraes (PB) e Ivanir Perrone Boscolo (SP) foram nomeados vice-presidentes da CACB, ampliando ainda mais a representatividade da entidade.

Cotait também citou a recente missão que a Facesp e a ACSP fez aos Emirados Árabes Unidos, pedindo para que todos os presidentes de federações deem mais atenção às oportunidades de negócios internacionais, que são extraordinárias, segundo ele.

Por fim, o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Acre apresentou o projeto Protagonismo Empresarial, desenvolvido nas entidades empresariais do estado, com o apoio do Sebrae local, que também esteve presente no encontro





  Ao utilizar nosso website, você concorda com o uso de cookies conforme a LEI DE PROTEÇÃO DE DADOS.